CLIQUE AQUI para pedir seu livro GEOGLIFOS GAÚCHOS com frete grátis* pra todo o Brasil

CLIQUE AQUI para pedir seu livro GEOGLIFOS GAÚCHOS com frete grátis* pra todo o Brasil
R$ 29,90 cada -*Informe-se sobre as condições da promoção - www.facebook.com/geoglifosgauchos

terça-feira, 23 de novembro de 2010

1953-1973 A rede de açougues de Osvaldo Farias e a casa onde ele viveu em Pelotas/RS


Como já foi dito aqui nesse mesmo blog, depois de se mudar de Cerrito/RS em 1953 o charqueador Osvaldo Farias veio morar em Pelotas, onde abriu uma rede com 3 açougues, administrados por seus filhos. Vejamos onde eram sua moradia e seus açougues:



Osvaldo Farias residiu entre 1953 e 1973 (ano no qual ele faleceu) na rua Pedro Moacyr, 441, nas proximidades da praça do Colono. Ali perto, também junto ao mesmo espaço público, ficava um de seus açougues.


O açougue administrado por Osvaldo Portella Farias ficava na avenida Fernando Osório, 957, junto à Praça do Colono. Mais tarde, ele trabalhou no curtume de Arthur Lange. Após conseguir uma parceria com o proprietário da empresa, Osvaldo abriu um negócio próprio, também no ramo dos couros e peles.


Heitor Portella Farias a casa de carnes na rua Professor Araújo, 1891. Após, ele trabalhou no Departamento Nacional de Obras e Saneamento, órgão que mais tarde foi incorporado pela Universidade Federal de Pelotas e pelo qual ele se aposentou anos depois.


Na esquina das ruas Rafael Pinto Bandeira e Gonçalves Chaves, atrás da Igreja da Luz (e bem próximo à fábrica de sabão F. C. Lang e Co., para a qual Osvaldo Barros Farias costumava vender sebo animal), ficava o açougue administrado por Saul Portella Farias. Posteriormente ele adquiriu um imóvel próprio na avenida Rio Grande do Sul, no Laranjal; e arrendou uma chácara na qual criava porcos, galinhas, cavalos e reses. Delas ele tirava leite, que era vendido de charrete e entregue em tarros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário